Sistema Interligado Nacional (SIN)

Conheça mais sobre a produção e transmissão de energia elétrica do Brasil, através do Sistema Interligado Nacional.

Navegue pelo conteúdo

O que é SIN?

Sigla para Sistema Interligado Nacional, é um sistema hidro-termo-eólico de grande porte, possuindo múltiplos proprietários. O Sistema Interligado Nacional é constituído por quatro subsistemas: Sul, Sudeste/Centro-Oeste, Nordeste e a maior parte da região Norte.  É importante lembrar que o nosso país tem como predominância a produção de energia através de hidrelétricas e o grande desafio para um país de proporções continentais como o nosso, é em como distribuir essa energia com qualidade.

Partindo disso, em 1998 foi criado o SIN, que coordena e controla as ações de geração, transmissão e distribuição de energia elétrica. Portanto, o grande responsável por levar energia aos estabelecimentos, indústrias e casas de todo país.

Como Funciona:

Através dos subsistemas que estão todos conectados entre si. Sistema hidro-termo-eólico, ou seja, composto por usinas hidroelétricas, usinas termelétricas e usinas eólicas. Toda energia gerada por eles se une no Sistema Interligado Nacional que, por intermédio da sua extensa malha de transmissão, fica responsável por redistribuir a energia produzida de forma equilibrada por todo país. Desde a sua geração, passando pela transmissão e sua distribuição.

MAPA_SISTEMAS INTERLIGADOS NACIONAL

Fonte: Operador Nacional do Sistema Elétrico – ONS

Quais são as vantagens

Podemos ressaltar que sua estrutura permite apostar e investir em fontes de energia renovável, a interconexão do SIN( Sistema Interligado Nacional) através das malhas de transmissão permite que haja transferência de energia entre os submercados, maior ganho, maior exploração das bacias hidrográficas do país, além de uma maior diversidade do tipo de energia que se é produzida.

Outra vantagem é o aproveitamento da sazonalidade de chuva, em algumas regiões pode haver um período maior de estiagem e em outros não e como a geração de energia é predominante hídrica, é preciso haver um equilíbrio para que não falte energia em nenhuma das regiões, além da confiabilidade do sistema que diminui as interrupções de energia. Ou seja, caso haja uma falha na linha de transmissão, como o sistema é todo interligado e capaz de repassar energia automaticamente para a região onde ocorreu a falha, garante que menos pessoas sejam afetadas se houver um apagão.

O SIN também proporciona balanceamento de diferentes fontes de energia, com eficiência e além de reduzir os custos na produção de energia elétrica, possui uma estrutura que permite e incentiva o uso de energia renovável. Essa diversificação traz como principais benefícios a diminuição do uso de combustíveis poluentes, redução dos impactos ambientais e a diminuição da exploração dos recursos naturais.

Desvantagens

Embora o SIN seja eficiente ao desempenhar a missão de abastecer o Brasil de forma equilibrada, existem alguns pontos negativos. Entre eles podemos destacar as perdas energéticas que podem ocorrer em algum momento nas linhas de transmissão, devido à necessidade de percorrer longas distâncias. Também podemos citar as tarifas que podem ser mais acentuadas, uma vez que, todo Sistema Interligado Nacional apresenta uma complexidade maior e mais sofisticada.

Conclusão

Em 1998, além do Sistema Integrado Nacional, também foi criado o Mercado Livre de Energia. Desde então, esse ambiente de contratação de energia elétrica permite que alguns consumidores negociem preços, prazo, volume e forma de pagamento diretamente com geradoras ou comercializadoras.

Além, das vantagens que este ambiente oferece, podemos destacar o empoderamento do consumidor, que terá liberdade para escolher e negociar diretamente com as empresas comercializadoras e geradoras de energia, como a Quanta. Além da redução no custo da energia, uma vez que a empresa possibilita uma economia de até 40% aos seus clientes.

Acompanhe também o blog e as nossas redes sociais! Estamos no InstagramLinkedIn e Youtube.

Deixe uma resposta